SAÚDE: Licuri, mais conhecido como coquinho

Quem se lembra do “coquinho” ? Aquele que caia de uma palmeira gigante e a gente chupava como uma fruta. Pois é, ele se chama Licuri, o coquinho da Caatinga.

 O licuri (Syagrus coronata) é o fruto de uma palmeira endêmica da Caatinga brasileira, um coquinho de grande valor protéico usado na cozinha do sertão.

Dá em cachos grandes, numa palmeira alta, abundante no norte de Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Sergipe e Alagoas. É comido cru quando maduro, torrado, em diversas receitas culinárias e seu óleo tem uso medicinal

Do caroço são feitos leite, cocada, farofa, licor, sabão e, mais recentemente, finos cosméticos, a palha do coqueiro é matéria-prima de esteiras, cestos e chapéus. No mercado vemos várias marcas usando essa matéria prima, uma delas é a L’óccitane que faz da amêndoa do licuri um ingrediente valioso na fabricação de óleos de banho e cremes hidratantes.

O óleo de licuri é rico em ácido láurico, que tem uma atuação poderosa na hidratação e na reparação da pele.

Seu conteúdo nutricional ajuda o bom funcionamento do sistema nervoso e imunológico, previne a osteoporose, fortalece os ossos, previne aterosclerose, problemas cardíacos, artrite reumatóide, infecções, hipoglicemia, inflamações, lúpus e muitas outras doenças.

Sua ação também é positiva no tratamento diabetes por conta do seu conteúdo de manganês, que ajuda na liberação da insulina e no metabolismo da glicose.