Minha experiência na Bienal de Veneza


Quem me acompanha no Instagram (@hypnotique e @fabiolakassin) sabe que visitei a Bienal de Veneza durante o final de semana. 

Como mostrei bastante das exposições nos stories, resolvi escrever essa matéria explicando melhor como funciona o evento e contando um pouco da minha experiência.  

Para quem não sabe, a Bienal de Veneza é um evento de arte internacional realizado a cada dois anos na cidade de Veneza. Em sua 58ª edição, a mais antiga Bienal do mundo conta com exposições multidisciplinares distribuídas em diversos pavilhões de acordo com seus campos como Artes Visuais, Arquitetura, Cinema e Dança. Tudo montado sob os olhos e cuidados do curador Ralph Rugoff. 

Durante a Bienal de Veneza há a entrega de prêmios, sendo o Leão de Ouro o principal, entregue à melhor obra da mostra internacional, que neste ano ficou com as artistas Lina Lapelyte, Vaiva Grainyte e Rugile Barzdziukaite da Lituânia.

Participei de uma visita guiada proporcionada pela Kura Arte, empresa de consultoria para colecionadores de arte, que eu frequento em São Paulo e achei a experiência super enriquecedora. Se engana quem pensa que apenas grandes entendedores de arte devem ir a esses eventos. É uma oportunidade super bacana para aprender mais sobre assuntos que nem sempre fazem parte do nosso dia a dia e ainda explorar o senso crítico.

Se você for para a Europa nos próximos meses, vale a pena tirar alguns dias para visitar a Bienal de Veneza. 

Deixei todos os vídeos salvos nos ‘Destaques’ do Instagram (@hypnotique) para quem quiser embarcar nesse passeio comigo. 

58ª Bienal de Veneza

Até 24 de Novembro 

Informações no www.labiennale.org/it