BELEZA : Ácidos no rosto durante o inverno, pode?

Com a queda das temperaturas, muitos procedimentos estéticos se tornam vantajosos.

O peeling é um deles, existem no mercado vários tipos de peeling (caso vc não saiba o que é , recomendo que leia esta matéria aqui https://hypnotique.com.br/2019/08/15/peeling-o-que-e-e-como-age/).

Hoje, vamos comentar sobre os peelings superficiais, que provem ótimos resultados e são menos agressivos 

E como saber se o peeling é agressivo ou não?

O que define a agressividade são os fatores, ph, concentração, se é combinado ou não, como será a aplicação, tempo de contato, número e frequência das sessões etc.

Quais ácidos são usados no peeling superficial?

No peeling químico superficial é utilizado o ácido glicólico (concentração de 40% a 70%), ácido láctico, ácido salicílico ou retinóico (3% a 5%), solução de Jessner ou pasta de resorcina, esses propiciam uma descamação leve, retirando as lesões superficiais da epiderme. 

Para quem é indicado o peeling superficial?

Se sua pele é ressecada, se possui acnes, rugas superficiais ou manchinhas, o peeling será uma excelente opção. Você conhece o peeling Diamante e o Porcelana? Veja como eles funcionam:

Peeling Diamante

É um peeling mecânico, que promove a renovação celular, clareia as manchas e diminui a oleosidade. Ele é feito com uma microdermoabrasão, o qual se usa uma ponteira de diamante que desliza sobre a pele realizando uma esfoliação. Sua atuação é superficial, reduz as rugas finas e diminui poros dilatado

Peeling de Porcelana

Com uma combinação de vitamina C + ácido hialurônico, melhora a elasticidade da pele, clareia e dá um efeito de luminosidade. Se você tem pele seca ou com aparência de cansaço, é indicado!

Muitas pessoas optam por utilizar os produtos em casa e ter uma rotina de Skincare que inclua os ácidos do peeling químico, mas lembre-se de consultar seu dermatologista ou esteticista para não manchar nem agredir sua pele.